Tendências do mercado financeiro para 2020

Com o fim de 2019, nada mais natural que uma avaliação do que passou e o desenvolvimento de estratégias para o ano que está por vir. Com diversas pesquisas apontando números crescentes durante todo o último ciclo, nada mais justo que encarar esse novo começo com otimismo.

Economia em reaquecimento, indicadores econômicos positivos e confiança no cenário econômico estão trazendo resultados positivos para voltar a investir no setor imobiliário. São vários os fatores que contribuem para esse avanço da economia e entendê-las é a maneira mais eficaz de compreender também o panorama do mercado.

Mercado financeiro:

 

Os bancos reduziram suas taxas diante do grande corte na taxa básica de juros, a Selic, que chegou ao fim de 2019 em 4,5% ao ano, a mínima histórica. A redução da taxa de juros nos financiamentos aumenta a atratividade da compra de imóveis. Antes da queda da Selic, as taxas de juros do financiamento imobiliário se acomodaram em 11,7% ao ano (+ TR), em média. Agora elas caíram para algo perto de 7% (+TR).

 

Recuperação Econômica:

 

Outro ponto importante a considerar é que há a expectativa de uma valorização dos valores dos imóveis já para 2020 e 2021. O que contribui para esse pensamento é a estimativa da inflação em queda e, por consequência, a redução das taxas de juros. Isso tudo gera maior estabilidade dos preços dos imóveis e um cenário positivo ideal para compra.

Além disso, com o reaquecimento da economia, retorna a demandar salas comerciais, com a abertura de novas empresas e contratação de pessoal, restabelecendo os patamares pré-crise.”

 

Incentivos:

 

A criação de programas habitacionais do Governo Federal promete um investimento de R$ 450 milhões em 2020 e gera um movimento que chega também no setor privado. Dados do Ministério da Economia mostram intenção de investimento de mais de 250 empresas criando um montante de mais de US$ 60 bilhões nos próximos anos. Se já vimos o aumento de grandes lançamentos imobiliários em 2019, espere mais a partir do ano que vem.

 

Aumento de intenção:

 

Um cenário mais seguro também afeta públicos importantes da economia. O aumento da expectativa de vida causou um crescimento considerável da população sênior, o 3º maior do mercado, representando mais de 550 mil pessoas. Um consumidor mais estável, disposto a investir e que promete investir em um mercado mais valorizado.

 

São diversos os motivos, mas o certo é que seja para uso particular ou para investimento, o mercado imobiliário segue sendo uma grande opção e mostra sinais de sobra para começar o ano otimista.